Equipe de TI enxuta: como fazer mais com menos

O método de “lean startup”, ou “startup enxuta”, criada por Eric Ries é um dos marcos mais revolucionários do empreendedorismo de tecnologia. O modelo serve muito bem para empresas que queiram trabalhar a tecnologia da informação em todo seu potencial sem ter que, necessariamente, contratar dezenas de pessoas para isso.

É possível – e econômico – criar rotinas de trabalho eficazes, que gerem resultados, com poucas pessoas na equipe, desde que elas sejam peças-chave para o andamento das requisições de TI.

Criar uma equipe menor, contudo, não é o grande diferencial da “startup enxuta” que te contamos ali no início. Aliás, nesse caso, as palavras são similares, mas não falam sobre as mesmas coisas.

No caso do método de lean startup, o “enxuto” significa a redução de processos e falhas a partir da criação de MVPs (mínimos produtos viáveis) que passam por validação antes de ser comercializado. Mas até mesmo um estudo criado para desenvolver empresas incipientes de tecnologia pode servir de metáfora para a criação de um time competente e com poucos membros.

Afinal de contas, as startups mais famosas surgiram, justamente, de duplas ou trios pensantes, e não de multinacionais inteiras…

Veja aqui o que o conceito de lean startup pode te ensinar sobre criar equipes enxutas de TI e fazer muito mais resultado até quando se tem pouquíssimos recursos.

Preceitos da startup enxuta para formação de equipes

Testar, aprender e enxugar os gastos são as principais “regras” para uma startup que, além de “lean”, seja também viável e lucrativa. Mesmo que sua empresa não seja uma startup, esses conceitos podem te ajudar – e muito – a definir a formação do seu time de TI.

Equipe alinhada

Quando uma empresa nasce, ela tem um propósito. As pessoas contratadas para trabalhar dentro dela precisam entender desse propósito e encontrar formas de atender às expectativas dos contratantes.

Por exemplo: o propósito da sua empresa pode ser resolver problemas contábeis dos clientes. Por mais que seu time de TI não tenha expertise em contabilidade, ele precisa agir com eficácia para que, no fim das contas, os dados dispostos pela empresa resolvam os problemas do seu cliente final.

A equipe de TI deve estar alinhada e entender que atua nos bastidores: sem ela, nada acontece. Por isso, não adianta manter dentro da empresa peças que não contribuem para o propósito final ou que não entreguem resultados expressivos.

Testar antes de lançar

Outro conceito cunhado pela startup enxuta é o teste de funcionalidades básicas de um produto ou serviço antes de lançá-lo completo aos consumidores finais.

O mesmo vale para a TI e seus sistemas e softwares: não adianta perder tempo tentando descobrir as melhores formas de otimizar um processo, implementar um cloud backup ou comprar soluções em chatbots se essas coisas não são prioridade ou necessidade da empresa, dos colaboradores ou dos clientes.

Nesse caso, a equipe de TI enxuta vai trabalhar para testar os princípios básicos de suas ideias e ver se, para a realidade da empresa, elas fazem sentido. Assim, quanto menos pessoas estiverem envolvidas no processo, menor é o prazo de testes, validações e ajustes do produto ou serviço a ser feito.

Aprendizado constante

É melhor ter uma equipe pequena que concentra seus esforços em aprender – e que você acompanha de perto – do que uma grande que você não sabe dizer, ao certo, em que ponto da curva de aprendizado está dentro das soluções de TI.

Fora que em equipes muito grandes há, também, o problema da rotatividade, que significa ter de treinar novas pessoas em períodos curtos de tempo.

Quando o time de TI é enxuto e a empresa tem condições de bancar livros, revistas, cursos e eventos de reciclagem, temos o cenário perfeito.

Ajuda de fora

Por fim, vale lembrar que uma das premissas mais contundentes da startup enxuta é a arte de evitar desperdícios, sejam físicos, econômicos ou de tempo.

Por isso, sempre que possível, tente aumentar a capacidade da sua equipe de TI terceirizando uma empresa especializada para te ajudar nesse assunto, já que é de responsabilidade de um eventual parceiro criar as equipes, mantê-las atualizadas e prover todo o hardware e o suporte necessários para que um bom serviço seja prestado.

Dessa forma, você evita desperdícios, enxuga suas despesas e pode contar com atendimento de primeira qualidade para garantir o resultado tão aguardado.

Assim, você concentra na sua equipe interna de TI as decisões estratégicas, valorizando ainda mais os profissionais que trabalham contigo, sem perder o rastro das operações rotineiras da informação.

Compartilhe nas redes sociais:

Comente usando o seu Facebook: