Migração da infraestrutura de TI para a Cloud

Migrar a infraestrutura de TI para a Cloud é uma tendência empresarial que não dá sinais de desaceleração em um futuro próximo. Afinal, com o aumento das possibilidades tecnológicas de trazer segurança a dados primordiais, e o aumento das tentativas de sequestro desses mesmíssimos dados, manter a TI na nuvem é a melhor opção contra a chance de a empresa virar vítima de crimes cibernéticos.

Além disso, a migração da infraestrutura de TI para a Cloud também representa bons níveis de economia dentro das corporações, que não precisam mais gastar em hardware, aluguel de salas ou manutenção diária e podem, assim, investir em pacotes mais completos de computação em nuvem.

Contudo, a presença desse novo tipo de serviço, conhecido como IaaS (Infrastructure as a Service, ou Infraestrutura como Serviço), demanda equipes mais alinhadas com as soluções estratégicas da computação em nuvem, que visam conectar todos os dados da empresa a partir de um único hub.

Para tanto as empresas necessitam de softwares que possibilitem o acesso de sua equipe interna de TI aos dados com rapidez, instintividade e, claro, segurança. Essas possibilidades, por sua vez, pedem uma banda de internet corporativa mais robusta e especialistas em informação em rede.

Resumindo, fazer a migração da infraestrutura de TI para a cloud não só é necessário como, também, se faz urgente para empresas que querem permanecer seguras. Isso, no entanto, não significa que não existam alguns percalços no caminho até a segurança de dados ideal.

Os principais desafios da migração da infraestrutura de TI para a cloud

Como dissemos ali em cima, migrar a infraestrutura de TI para a cloud significa economia em algumas frentes da empresa (como a compra de hardware) e investimento pesado em outras (como a banda de internet) – tudo para que a troca seja interessante e faça sentido à corporação.

Por isso, o principal desafio que os negócios encontram na hora de migrar sua infraestrutura de TI para a cloud é encontrar um bom provedor, capaz de suportar toda a passagem dos dados sem que a rede geral fique comprometida até a conclusão dessa atividade.

Mas não é só isso: ao colocar os dados na nuvem a empresa precisa contar com um bom provedor, não só da internet, mas também do próprio backup, para manter os dados disponíveis pelo tempo que for necessário. Deixar essa preocupação de lado pode significar prejuízo e dor de cabeça no longo prazo.

Outro desafio comum da migração da infraestrutura de TI para a cloud é o desenvolvimento do projeto de migração, já que ele não pode ser feito da noite para o dia e nem por qualquer pessoa. Para ser eficaz e não causar uma enorme confusão após concluída, a migração deve respeitar os sistemas da empresa e seu funcionamento, permitindo que os responsáveis pela TI consigam se ajustar aos poucos à nova realidade.

E, nesse contexto, encontrar um bom suporte técnico das empresas terceirizadas que ajudam na transferência de dados pode ser um enorme obstáculo, já que muitas não levam em consideração o período de adaptação de colaboradores e gestores.

Para não ficar de cabelo em pé enquanto é migrada a infraestrutura de TI para a cloud, certifique-se de que a sua empresa escolheu um bom parceiro para o trabalho, que vai estar à disposição ao menor sinal de dúvida ou problema.

A melhor forma de garantir que isso aconteça é contando com uma consultoria de TI experiente, como é o caso da Sinestec.

Passo a passo da migração de infra

Com a Sinestec a sua migração da infraestrutura de TI para a cloud não só vai ser econômica e correta como, também, tem tudo para se tornar a decisão mais assertiva da empresa nos últimos anos.

Afinal, como qualquer bom parceiro da tecnologia faria, nós passamos com a gestão pelo checklist de migração de infraestrutura de TI para a cloud, tendo certeza de que nada foi deixado para trás no processo.

Os principais pontos do nosso passo a passo são:

  1. Ver quais são as reais necessidades da empresa em relação à infraestrutura de TI – e como a computação em nuvem pode ajudar;
  2. Usar a nuvem em todo o seu potencial de escala, permitindo ao servidor contar com data centers robustos e seguros, espalhados ao redor do mundo;
  3. Alinhar a computação em nuvem às equipes da empresa que trabalham diariamente com TI, já que uma não substitui a outra; ao contrário, elas se complementam;
  4. Tornar as informações e conexões redundantes para garantir que elas estejam disponíveis todo o tempo, a quantas pessoas for necessário;
  5. Possibilitar, através da redução de custo com hardware, um melhor direcionamento de investimentos para que os dados estejam 100% seguros e sejam absolutamente escaláveis.

Com esse checklist a Sinestec faz a migração da infraestrutura de TI para a cloud com rapidez e foco nas necessidades da empresa, entregando um serviço personalizado e de extrema qualidade.

Compartilhe nas redes sociais:

Comente usando o seu Facebook: